SAÚDE MENTAL EM UM NOVO ANO


Quer atingir suas metas de 2020 com sucesso e saúde mental? Faça terapia


Psicanalista explica a importância do apoio psicológico para conquistar sonhos e lidar com as dificuldades de forma saudável; veja onde encontrar atendimento gratuito.


O ano de 2019 terminou e, ao olhar para trás, muitas pessoas sentem vontade de serem melhores em 2020. E aí surgem as conhecidas listas de metas: começar a academia, emagrecer, melhorar a relação com a namorada (ou encontrar uma), juntar dinheiro, entrar na faculdade e por aí vai. Mas nem sempre dá certo. Os meses passam e, muitas vezes, os sonhos dão espaço para a frustração, ansiedade, sensação de fracasso ou qualquer outra emoção que lhes faça pensar que estão paradas no tempo.


Quando tudo parece estar confuso e os objetivos não dão certo, surgem então as dúvidas: “onde foi que eu errei?”, “e se eu fizesse daquele jeito?”. Ou comparações: “eu poderia ser igual a ele”, “meus amigos estão dando certo na vida, mas eu não.”


Assim, com a autoestima lá embaixo, nascem as paranóias. Tudo que no começo do ano era um estímulo para evoluir vira desilusão, derrota ou cai no esquecimento, até chegar o próximo ano-novo e outros objetivos aparecerem — ainda que as mágoas, medos, inseguranças e comportamentos continuem sendo os mesmos do passado.


É pensando nessas situações que o psicanalista Marcos Borba acredita que a terapia é um caminho importante para conquistar metas e aprender a lidar com elas quando dão erradas. “Terapia é para quem está no caos emocional e psicológico, mas também para quem não quer entrar nele”, explica.


“Seja por causa de um luto, um fracasso profissional, um término de relacionamento, uma dificuldade de convivência, fragilidade, transtornos, traumas ou necessidade de falar. Não importa o que te leve à terapia, o importante é ir”, orienta.


Vale destacar que, ao buscar um atendimento, você deve conferir se o profissional é registrado na área, por meio da ferramenta de busca do Conselho Federal de Psicologia (acesse aqui). No caso da Psicanálise, como se trata de um curso livre — ou seja, sem uma entidade nacional credenciada — , é válido pedir para o psicanalista mostrar o certificado da escola onde se formou.


Além disso, o interessado deve ler o Código de Ética da Psicologia para não cair nas mãos de psicólogos com más condutas. É proibido, por exemplo, que ele induza a "convicções políticas, filosóficas, morais, ideológicas, religiosas, de orientação sexual ou a qualquer tipo de preconceito, quando do exercício de suas funções profissionais". Confira aqui o documento completo.


Leia abaixo 10 perguntas e respostas para entender como um psicólogo pode ajudar você a encarar seus objetivos de 2020 com saúde mental.

1) Como a terapia pode ajudar no cumprimento das metas?

É comum as pessoas perceberem que não conseguiram cumprir nada da lista de metas que fizeram no começo do ano. Entretanto, não entendem como e onde estão errando. Se é seu caso, a terapia vai te ajudar a entender os motivos, a elencar o que realmente é importante em sua vida e o que precisa ser trabalhado. Isso será não só para atingir um propósito, mas também para que você mantenha o seu psicológico sadio durante o ano e para que seus objetivos sejam realmente metas de ano novo, e não apenas fugas de um emocional desestruturado.


2) Há quem acredite que terapia é frescura. O que você diria a essas pessoas?

Existe o preconceito de que terapia é coisa de "louco" ou um serviço elitizado. Seja por medo, falta de informação ou por nunca ter entrado num consultório. Vivemos num mundo imediatista e, muitas vezes, queremos soluções mágicas. Assim, por não conseguirmos esses "milagres", reforçamos estereótipos.


Terapia é para quem quer ter qualidade de vida, tentar ser feliz e conquistar estabilidade emocional; é para quem está no caos emocional e para os que não querem entrar nele também.


Seja por causa de um luto, um fracasso profissional, um término de relacionamento, uma dificuldade de convivência, uma fragilidade, algum transtorno, trauma ou necessidade de falar.... Não importa o que te leve à terapia, o importante é ir.


3) Terapia é só para quem está para baixo ou com transtornos? Ou vale também para pessoas que estão em dia com a saúde mental?


Terapia é para todos e em todos os momentos. Muitos procuram ajuda psicológica não só para lidarem com problemas, mas também por desejarem ter uma estabilidade emocional ao longo do ano e manterem a sanidade. Em alguns casos, a pessoa não precisa ir toda semana ao consultório, mas ela cria uma rotina terapêutica para cultivar um bem-estar pessoal. Isso porque nossa mente não é estática e novos conflitos podem surgir.


Tem gente que busca a terapia quando já está no limite ou não consegue mais ter o mínimo de controle sobre o que lhe aflige. Isso é ruim, pois a terapia não é mágica. Ela é um processo que por vezes é lento e dolorido, pois mexe em questões existenciais de dores que talvez tenham sido reprimidas durante toda a vida.


Sempre digo que terapia não é luxo, é necessidade. Vivemos em uma sociedade que só te exige, que você tem que se mostrar forte, competente e feliz o tempo todo. Para muitos, é no consultório o único momento em que é possível mostrar medos e fraquezas sem o receio de ser julgado. Nele, você pode ser você, sem medo de colocar todos os seus medos para fora.

4) Muita gente fracassa ou desanima ao tentar atingir metas. O que você diria às pessoas que passaram por isso em 2019 e querem dar a volta por cima em 2020?

Perceber que fracassamos em algo, com alguém ou em situações não é agradável, ainda mais nesta sociedade que nos cobra por meritocracia. Precisamos entender que não somos máquinas, que somos seres humanos e, por isso, erramos e acertamos. Não se pode ganhar tudo e em todos os momentos. Muitas vezes criamos metas inatingíveis e não temos noção disso.


Criar metas plausíveis é importante para desenvolvermos a autoconfiança e, com isso, buscarmos outras maiores. Mas antes é necessário um certo autoconhecimento, uma noção da sua realidade e bom senso.


Saber lidar com o sucesso é tão importante quanto saber lidar com o fracasso. No entanto, esse equilíbrio nem sempre é alcançado, já que vivemos em uma sociedade neurótica que exige de cada um a perfeição. A conta não fecha. Precisamos nos olhar com mais humanidade, com mais amor e tolerância. Só assim vamos entender que os nossos fracassos fazem parte do nosso existir.


Saber como agir diante dos problemas não vai nos inferiorizar. Pelo contrário, irá nos tornar mais empáticos e flexíveis. Além de nos ajudar a não despejar nos outros as frustrações e a não assumir as neuras dos outros para si.


5) A terapia pode ser nociva em algum momento?

É necessário que o terapeuta tenha qualificação para atender e que o processo seja sério e com ética. Além disso, é preciso desenvolver uma relação de confiança e maturidade, pois o cliente trará ao psicólogo questões íntimas e que, muitas vezes, nunca falou para ninguém.


Um outro ponto importante é que a pessoa, quando vem para terapia, deve entender que o terapeuta não é o amigo de bar dela e nem padre confessor. O profissional está ali para desenvolver um trabalho que precisa da cooperação do paciente para gerar resultados.


Não existem benefícios terapêuticos para o cliente quando ele não fala a verdade nas sessões, não encara de frente os sentimentos que certos acontecimentos trazem e entende a história dele apenas pelo que lhe convém.


Sempre digo na primeira consulta: “da porta para fora, você pode ser quem você quiser. Da porta para dentro, comigo, seja você, sem medo ou receios.”


Então, o conselho que dou para quem for fazer terapia em 2020 é: não a encare como uma mágica. Ela é um processo. E todo processo precisa acontecer da melhor e mais natural forma possível para se obter sucesso.


6) Tem quem diga: "para que terapia se tenho amigos que me apoiam?". É correto esse pensamento?

Muitas vezes estamos presos dentro de um caos tão grande que não conseguimos perceber coisas óbvias e buscamos ajuda com amigos. Eles são importantes, mas são amigos. Um conselho de amigo não é terapia. É preciso buscar um atendimento especializado, pois o psicólogo ou psicanalista oferecerá um olhar neutro e técnico sobre as questões que te incomodam.


Por melhor que seja a intenção de um amigo, a "ajuda" dele pode vir "contaminada", pois ele pode "tomar partido" dentro da situação por eventualmente conhecer ou até fazer parte do assunto em questão. O terapeuta é um profissional de fora, que não tem vínculo familiar ou afetivo, podendo então oferecer um atendimento mais adequado.

7) Como identificar e fugir dos maus psicólogos?

Você não sabe quem te espera quando chega no consultório. Desconfie de quem promete "curas rápidas e milagrosas" ou quem só te elogia, quer mostrar que sabe todas as teorias e te dá um diagnóstico na primeira sessão. Terapia é um processo, por vezes lento e dolorido, mas com um resultado prazeroso e surpreendente.


8) É aconselhável voltar à terapia mesmo depois de ter recebido alta? Por quê?

Às vezes, pode-se fazer uma "manutenção" quinzenal ou mensal. Cada caso é um caso. Nossa mente é dinâmica. Você pode ter conseguido trabalhar determinada situação que te levou a buscar ajuda psicológica, mas podem surgir outras com o tempo.


Desconfie de quem promete 'curas rápidas e milagrosas' ou quem só te elogia, quer mostrar que sabe todas as teorias e te dá um diagnóstico na primeira sessão. Terapia é um processo, por vezes lento e dolorido, mas com um resultado prazeroso e surpreendente.


Marcos Borba, psicanalista