Please reload

OS SONHOS E OS DESEJOS NELE MANIFESTADOS

29/01/2019

 Os sonhos sempre nos deixaram intrigados. Sendo assim, o psicanalista Sigmund Freud teve, ao longo de todo seu trabalho, um intenso mergulho neste universo tão desconhecido por nós.

Leia a seguir, um trecho dos estudos de Freud sobre o desejo manifestado nos sonhos. 

 

O desejo manifesto nos sonhos

Por Sigmund Freud

 

Em primeiro lugar, nem todos os sonhos são estranhos, incompreensíveis e confusos para a pessoa que sonhou. Examinando os sonhos de criancinhas, desde um ano e meio de idade, verificarão que eles são extremamente simples e de fácil explicação. A criancinha sonha sempre com a realização de desejos que o dia anterior lhe trouxe e que ela não satisfez. […] Estaria certamente resolvido, e de modo satisfatório, o enigma do sonho, se o do adulto não fosse nada mais que o da criancinha: realização de desejos trazidos pelo dia do sonho. E isso de fato é verdade. As dificuldades que esta solução apresenta removem-se uma a uma, mediante a análise minuciosa dos sonhos.

A primeira objeção e a mais importante é a de que os sonhos dos adultos via de regra têm um conteúdo ininteligível, sem nenhuma semelhança com a satisfação de desejos. Resposta: estes sonhos estão distorcidos, o processo psíquico correspondente teria originariamente uma expressão verbal muito diversa. O conteúdo manifesto do sonho, recordado vagamente de manhã e que, não obstante a espontaneidade aparente, se exprime em palavras com esforço, deve ser diferenciado dos pensamentos latentes do sonho que se têm de admitir como existentes no inconsciente. Esta deformação possui mecanismo idêntico ao que já conhecemos desde quando examinamos a gênese dos sintomas histéricos; é uma prova da participação da mesma interação de forças mentais tanto na formação dos sonhos como na dos sintomas. […] é obra das forças defensivas do ego, isto é, das resistências que na vigília impedem, de modo geral, a passagem para a consciência dos desejos reprimidos do inconsciente; enfraquecidas durante o sono, essas resistências ainda são suficientemente fortes para só os tolerar disfarçados. Quem sonha, portanto, reconhece tão mal o sentido de seus sonhos como o histérico as correlações e a significação de seus sonhos…

 

FREUD, Sigmund. Cindo lições de psicanálise. Rio de Janeiro: Imago, 1997. p. 26-28

 

Publicado originalmente por: Farofa Filosófica>https://farofafilosofica.com/2018/06/25/o-desejo-manifesto-pelos-sonhos-texto-de-sigmund-freud/

 

 

Please reload

deixe seu comentário abaixo

INSTITUTO ESFERA

Rua Amador Bueno, 1300, Centro

Ribeirão Preto - SP | (16) 3625-0656